Blogue

As zonas turísticas de Innovatur falam (II)

Depois de conhecermos em primeira mão as necessidades e planos em matéria de modernização turística das zonas de Tenerife integradas em INNOVATUR, através da vereadora do Turismo de Puerto de la Cruz, Dimple Melwani, e do seu homónimo em Arona, David Pérez, na primeira parte deste artigo, vamos agora conhecer que objetivos e compromissos foram definidos para alcançar a renovação dos seus destinos.

 

 

Que objetivos foram definidos para a modernização do destino e em que prazos?

Dimple Melwani (D.M.): Já estamos a trabalhar nisto há alguns anos, a transformação está a ocorrer e para nós é de vital importância que sejam adicionados projetos, principalmente se forem financiados, como é o caso INNOVATUR, porque será um elemento adicional ao que já estamos a fazer.

David Pérez (D.P.): Podemos dizer que nos tornaremos um destino inteligente com um roteiro claro e preciso, e que trabalhamos com a Universidade de La Laguna e com a Associação de Especialistas Científicos em Turismo no novo plano de competitividade turística de Arona. Adquirimos também compromissos em sustentabilidade que estão a ser desenvolvidos com bastante seriedade e estamos a trabalhar a inclusão para nos destacarmos também como destino, bem como uma estratégia de eventos internacionais.

“Nem a Administração pode, por si só, desenvolver um projeto, nem a empresa privada pode fazê-lo sozinha sem o apoio da Administração”, D.P.

O conselheiro de Turismo de Arona, David Pérez, durante o Workshop de INNOVATUR em Los Cristianos.

Que compromissos deveriam assumir os hotéis e estabelecimentos comerciais nestes objetivos?

D.M.: O compromisso já está a verificar-se através dos acordos que estão a ser assinados dentro do Plano de Melhoria e Modernização (PMM), e esperamos que os estabelecimentos que já foram renovados através do primeiro PMM seja um incentivo para que outros se juntem ao PMM 2. A estabilidade política que o município vive agora é fundamental para incentivar aquele empresário que não sabe se deve investir a fazê-lo.

D.P.: Já são muitos os que trabalham connosco lado a lado neste sentido. Arona está a experimentar uma mudança gradual de hotéis que, por exemplo, especializam-se em “só adultos”. Mas, entendemos que também possa optar-se pela especialização de hotéis pequenos, familiares, que podem transformar-se em hotéis boutique; ou estabelecimentos comerciais que, ao especializarem-se, possam ser mais atrativos. Creio que não se pode elaborar uma estratégia que não seja participativa para todos os agentes envolvidos no setor turístico: nem a Administração pode, por si só, desenvolver um projeto, nem a empresa privada pode fazê-lo sozinha sem o apoio da Administração.

Como imagina o núcleo turístico de INNOVATUR que representa dentro de dez anos?

D.M.: Totalmente renovado e reposicionado. A forma de viajar mudou e, partindo dessa base, temos de ser capazes de nos tornarmos um destino inteligente, porque é a única coisa que nos vai permitir conhecer perfeitamente o que querem os visitantes e estar em contínua revisão para ver como mudam as suas exigências e os seus gostos, o que por sua vez vai permitir-nos um melhor posicionamento para conseguir o mais importante: um turismo sustentável. Se as ações do turismo não forem pensadas com base numa visão sustentável, no final será uma questão de épocas boas e épocas que escapem às previsões do que queremos conseguir para a cidade. O lado positivo de ter um destino turístico inteligente é também a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos.

D.P.: Los Cristianos tem uma segunda oportunidade em breve. Temos o passeio marítimo de Los Tarajales, a regeneração da praia de La Bahía de Los Cristianos, o Plano parcial El Mojón, a nova planta hoteleira, novos estabelecimentos comerciais, nova zona de expansão e uma encantadora vila de pescadores com uma identidade e cultura que é necessário potenciar. Abre-se uma nova era em que Los Cristianos vai recuperar protagonismo, competitividade e atratividade no futuro.

“INNOVATUR ser uma oportunidade para participar num projeto que não implica qualquer custo e que lhes proporcionará um estudo de mercado e um plano de ação”, D.M.

A conselheira de Turismo de Puerto de la Cruz, Dimple Melwani, durante o Workshop de INNOVATUR em Puerto de la Cruz.

O que deveriam aproveitar os hotéis e estabelecimentos comerciais de INNOVATUR?

D.M.: Deveriam aproveitar o facto de INNOVATUR ser uma oportunidade para participar num projeto que não implica qualquer custo e que lhes proporcionará um estudo de mercado e um plano de ação. O que lhes pediria é que, se pretendem renovar e reposicionar-se, precisam estar conscientes que o estudo é para levar a cabo, não para ficar guardado.

D.P.: Acredito que INNOVATUR é uma oportunidade que se apresenta e que é necessário tirar partido, porque contar com pessoal qualificado e preparado na formação é muito importante, mas também o é a criatividade, a digitalização, a apresentação… A inovação é a chave, é fundamental e, para ser competitivos, é preciso ter uma formação adequada, atualizada e em linha com o que o mercado pede agora.

Recorda que se seu hotel ou empresa comercial está em Funchal ou ilha Terceira e você querem ter a oportunidade para o acrescentar a este projeto de reactivación turístico, inscreva-se na assistência gratuita de especialistas oferecida por INNOVATUR.

 

 

No Comments

Post A Comment

Share This